Netskope é nomeada líder no Quadrante Mágico do Gartner® de 2024 para Security Service Edge. Obtenha o Relatório

fechar
fechar
  • Por que Netskope chevron

    Mudando a forma como a rede e a segurança trabalham juntas.

  • Nossos clientes chevron

    A Netskope atende a mais de 3.000 clientes em todo o mundo, incluindo mais de 25 das empresas da Fortune 100

  • Nossos parceiros chevron

    Fazemos parceria com líderes de segurança para ajudá-lo a proteger sua jornada para a nuvem.

Ainda mais alto em execução.
Ainda mais longe na visão.

Saiba por que o 2024 Gartner® Magic Quadrant™ nomeou a Netskope como líder em Security Service Edge pelo terceiro ano consecutivo.

Obtenha o Relatório
A Netskope foi nomeada líder no Quadrante Mágico do Gartner de 2024®™ para o gráfico Security Service Edge para menu
Ajudamos nossos clientes a estarem prontos para tudo

Veja nossos clientes
Woman smiling with glasses looking out window
A estratégia de comercialização da Netskope, focada em Parcerias, permite que nossos Parceiros maximizem seu crescimento e lucratividade enquanto transformam a segurança corporativa.

Saiba mais sobre os parceiros da Netskope
Group of diverse young professionals smiling
Sua Rede do Amanhã

Planeje seu caminho rumo a uma rede mais rápida, segura e resiliente projetada para os aplicativos e usuários aos quais você oferece suporte.

Receba o whitepaper
Sua Rede do Amanhã
Apresentando a plataforma Netskope One

O Netskope One é uma plataforma nativa da nuvem que oferece serviços convergentes de segurança e rede para permitir sua transformação SASE e zero trust.

Saiba mais sobre o Netskope One
Abstrato com iluminação azul
Adote uma arquitetura Secure Access Service Edge (SASE)

O Netskope NewEdge é a maior nuvem privada de segurança de alto desempenho do mundo e oferece aos clientes cobertura de serviço, desempenho e resiliência inigualáveis.

Conheça a NewEdge
NewEdge
Netskope Cloud Exchange

O Cloud Exchange (CE) da Netskope oferece aos clientes ferramentas de integração poderosas para tirar proveito dos investimentos em estratégias de segurança.

Saiba mais sobre o Cloud Exchange
Vídeo da Netskope
A plataforma do futuro é a Netskope

Intelligent Security Service Edge (SSE), Cloud Access Security Broker (CASB), Cloud Firewall, Next Generation Secure Web Gateway (SWG) e Private Access for ZTNA integrados nativamente em uma única solução para ajudar todas as empresas em sua jornada para o Secure Access Service Arquitetura de borda (SASE).

Vá para a plataforma
Vídeo da Netskope
Next Gen SASE Branch é híbrida — conectada, segura e automatizada

Netskope Next Gen SASE Branch converge o Context-Aware SASE Fabric, Zero-Trust Hybrid Security e SkopeAI-Powered Cloud Orchestrator em uma oferta de nuvem unificada, inaugurando uma experiência de filial totalmente modernizada para empresas sem fronteiras.

Saiba mais sobre Next Gen SASE Branch
Pessoas no escritório de espaço aberto
Desenvolvendo uma Arquitetura SASE para Leigos

Obtenha sua cópia gratuita do único guia de planejamento SASE que você realmente precisará.

Baixe o eBook
Mude para serviços de segurança na nuvem líderes de mercado com latência mínima e alta confiabilidade.

Conheça a NewEdge
Lighted highway through mountainside switchbacks
Permita com segurança o uso de aplicativos generativos de IA com controle de acesso a aplicativos, treinamento de usuários em tempo real e a melhor proteção de dados da categoria.

Saiba como protegemos o uso de IA generativa
Ative com segurança o ChatGPT e a IA generativa
Soluções de zero trust para a implementação de SSE e SASE

Conheça o Zero Trust
Boat driving through open sea
Netskope obtém alta autorização do FedRAMP

Escolha o Netskope GovCloud para acelerar a transformação de sua agência.

Saiba mais sobre o Netskope GovCloud
Netskope GovCloud
  • Recursos chevron

    Saiba mais sobre como a Netskope pode ajudá-lo a proteger sua jornada para a nuvem.

  • Blog chevron

    Saiba como a Netskope permite a transformação da segurança e da rede por meio do SSE (Security Service Edge)

  • Eventos e workshops chevron

    Esteja atualizado sobre as últimas tendências de segurança e conecte-se com seus pares.

  • Security Defined chevron

    Tudo o que você precisa saber em nossa enciclopédia de segurança cibernética.

Podcast Security Visionaries

A interseção entre confiança zero e segurança nacional
On the latest episode of Security Visionaries, co-hosts Max Havey and Emily Wearmouth sit down for a conversation with guest Chase Cunningham (AKA Dr. Zero Trust) about zero trust and national security.

Reproduzir o podcast
A interseção entre confiança zero e segurança nacional
Últimos blogs

Leia como a Netskope pode viabilizar a jornada Zero Trust e SASE por meio de recursos de borda de serviço de segurança (SSE).

Leia o Blog
Sunrise and cloudy sky
SASE Week 2023: Sua jornada SASE começa agora!

Replay das sessões da quarta SASE Week anual.

Explorar sessões
SASE Week 2023
O que é SASE?

Saiba mais sobre a futura convergência de ferramentas de redes e segurança no modelo predominante e atual de negócios na nuvem.

Saiba mais sobre a SASE
  • Empresa chevron

    Ajudamos você a antecipar os desafios da nuvem, dos dados e da segurança da rede.

  • Liderança chevron

    Nossa equipe de liderança está fortemente comprometida em fazer tudo o que for preciso para tornar nossos clientes bem-sucedidos.

  • Customer Solutions chevron

    Estamos aqui junto com você a cada passo da sua trajetória, assegurando seu sucesso com a Netskope.

  • Treinamento e certificação chevron

    Os treinamentos da Netskope vão ajudar você a ser um especialista em segurança na nuvem.

Apoiando a sustentabilidade por meio da segurança de dados

A Netskope tem o orgulho de participar da Visão 2045: uma iniciativa destinada a aumentar a conscientização sobre o papel da indústria privada na sustentabilidade.

Saiba mais
Apoiando a sustentabilidade por meio da segurança de dados
Pensadores, construtores, sonhadores, inovadores. Juntos, fornecemos soluções de segurança na nuvem de última geração para ajudar nossos clientes a proteger seus dados e seu pessoal.

Conheça nossa equipe
Group of hikers scaling a snowy mountain
A talentosa e experiente equipe de Serviços Profissionais da Netskope fornece uma abordagem prescritiva para sua implementação bem sucedida.

Conheça os Serviços Profissionais
Netskope Professional Services
Proteja sua jornada de transformação digital e aproveite ao máximo seus aplicativos de nuvem, web e privados com o treinamento da Netskope.

Saiba mais sobre Treinamentos e Certificações
Group of young professionals working

Um olhar mais atento aos ambientes de trabalho híbrido e à cobertura de seguro cibernético

Dec 29 2022

As organizações que buscam por cobertura de seguro cibernético normalmente são obrigadas a fornecer evidências de uma panóplia de controles sobre segurança da informação, recuperação de desastres e riscos relacionados e requisitos de tecnologia e melhores práticas.  

Quando os dados organizacionais residiam apenas on-premise, documentar, avaliar e fazer a manutenção desses controles parecia desafiador para alguns, mas para as equipes de TI, segurança e negócios responsáveis por eles era bem simples. Eles precisavam instalar certos tipos de fechaduras nas portas dos data centers, adicionar câmeras para monitorar o tráfego de pedestres e implementar protocolos específicos limitando quem tem acesso à qual informação. Dentro de indústrias altamente regulamentadas, as exigências das seguradoras muitas vezes andavam lado a lado do cumprimento da regulamentação.

No entanto, a COVID-19 se tornou uma pedra no sapato na cobertura de segurança cibernética e no gerenciamento de risco para muitas organizações. Quando uma parte substancial da força de trabalho começou a trabalhar remotamente, a estrutura de controle de segurança apropriada tornou-se obsoleta. O problema foi agravado pelo aumento simultâneo do uso corporativo de soluções de Software as a Service (SaaS).

Hoje, talvez a única coisa mais desafiadora do que construir uma estrutura de controle eficaz seja produzir evidências de que essa estrutura está protegendo efetivamente aplicações, dados e usuários corporativos. 

Agora, os gerentes de cibersegurança corporativa precisam se concentrar em entender como seus controles devem ser estruturados na era pós-covid e como devem ser compartilhados com auditores internos e externos, do mesmo jeito que fazem com as seguradoras. 

O que mudou exatamente?

A pandemia influenciou a migração da força de trabalho ao redor do mundo. Os funcionários ainda estão fazendo os mesmos trabalhos que costumavam fazer no escritório, mas de casa ou de outros lugares.

Agora é muito mais difícil que os métodos tradicionais de segurança do perímetro sejam eficazes nesse ambiente híbrido. Mesmo que a equipe de segurança tivesse largura de banda para viajar até a residência de cada funcionário, a instalação de câmeras de segurança e de travas nas portas do escritório não faz sentido. Nem tão pouco é viável que uma auditoria terceirizada seja contratada para viajar até cada local e verificar se a segurança do ambiente do funcionário está à altura.

Certamente, desafios similares a esse já surgiram antes da COVID-19 aparecer. Algumas pessoas viajavam à trabalho, enquanto outras ocasionalmente levavam tarefas para casa à noite. Nesses casos, as equipes de segurança exigiam que os trabalhadores remotos se conectassem à rede corporativa via VPN e então a comprovação da segurança dessas conexões era solicitada pelos auditores. Quando isso acontecia, os funcionários remotos eram normalmente a exceção e não a regra.

O trabalho híbrido e a transformação da nuvem inverteram essa equação. Revelou-se a importância e a eficácia dos controles baseados no perímetro e tecnologias de segurança relacionadas. Ter que se conectar à rede corporativa antes de usar um aplicativo SaaS ou navegar na Internet se tornou entediante e passou a comprometer a qualidade da experiência do usuário.

Durante a pandemia, algumas organizações tomaram decisões tecnológicas arriscadas em relação ao acesso remoto, permitindo o bypass de soluções sobrecarregadas e com excesso de assinaturas, o que aumentou suas superfícies de ataque. Somado ao aumento do tempo pessoal gasto em dispositivos, isso fez com que a superfície de ataque também se estendesse a serviços frequentemente confiáveis como Office 365, Google Suite e uma série de outras ferramentas que os funcionários usam tanto em suas vidas profissionais quanto pessoais. Isso deixou lacunas em muitas estratégias tecnológicas de segurança cujos recursos tradicionais não tinham a capacidade de determinar a diferença entre uma instância corporativa do Office 365 e uma instância pessoal usada em casa. Como resultado desta rápida mudança do ambiente operacional de negócios e do cenário híbrido de trabalho, os requisitos de controle dos provedores de seguro cibernético só se intensificaram à medida que a frequência dos ataques e as perdas resultantes de incidentes de segurança continuaram a aumentar. 

Quais são as expectativas das seguradoras?

Quando uma organização sai em busca de uma apólice de seguro cibernético, a seguradora naturalmente pede informações sobre o negócio, ambiente operacional, programa de segurança e controles relacionados a ele. Essas informações normalmente são coletadas na primeira etapa, quando ocorre aplicação de cobertura suplementar e metodologia geral de avaliação necessária para entender os riscos. O processo baseado em explicar os controles, fornecendo uma visão geral do programa de cibersegurança/gestão de risco e documentação de apoio, é um jeito comum para começar - mas cada vez mais as seguradoras esperam ver provas.

Frequentemente, a produção dessas provas pode ser baseada nos atestados derivados de auditorias externas, avaliações e testes de intrusão. Entretanto, qualquer auditoria ou resultado de avaliação é uma solução momentânea, pois reflete a eficácia e o estado operacional dos controles durante um período estático e não os fluxos que comprovam como a superfície de ataque de uma organização pode mudar rapidamente. Cada vez mais, as seguradoras estão buscando oportunidades de monitoramento contínuo de seus contratantes para destacar riscos e vulnerabilidades emergentes que poderiam indicar e melhor prever situações que resultariam em um registro de sinistro.  

O que isso significa tanto para o segurado quanto para a companhia de seguros? 

A realidade é que há oportunidade para que ambos os lados obtenham insights a partir da visibilidade contínua. O desafio é que com o trabalho híbrido e os impactos da transformação digital contínua nos negócios, é crucial olhar além do simples inventário de usuários, identidades, dispositivos, aplicações e dados que pode ser abstraído do ambiente operacional tradicional de data center. Agora é fundamental entender completamente os pontos-chave de dados e o inventário dos serviços em nuvem em uso: os que são implementados pela TI; aqueles que são usados por cada setor (shadow IT) e os serviços mais pessoais que são introduzidos diariamente pelos usuários finais. 

Embora o inventário seja um ponto de partida, é tão importante entender quem está acessando esses serviços e como eles são configurados, quanto qual a quantidade de dados que está sendo enviada aos serviços em questão. Esses são elementos-chave que podem mudar rapidamente o perfil de risco de um segurado e muitas vezes passam despercebidos. Por fim, é necessário avaliar os serviços de nuvem acima mencionados a partir de uma perspectiva de risco e ameaça à cadeia de suprimentos e ser capaz de responder perguntas sobre a postura de segurança da organização na nuvem.

Certamente, a indústria já está vendo mais seguradoras integrarem ciência atuarial, avaliação de superfície de ataque e monitoramento de ameaças a seus serviços, bem como basearem seus preços em previsões orientadas por telemetria que revela quais usuários têm mais probabilidade de sofrer uma violação de dados e qual incidente de segurança pode levar a um sinistro. Independentemente de como ou quando isso acontecerá totalmente, as equipes de segurança que estão transformando seus ambientes e modernizando suas arquiteturas têm as capacidades e os dados necessários para compreender seus riscos cibernéticos e, em última instância, fornecer provas de que estão gerenciando efetivamente o risco que desejam transferir. 

Este artigo foi originalmente publicado pela Security Magazine

author image
Nathan Smolenski
Nathan é um CISO experiente e líder em tecnologia e gerenciamento de riscos com mais de 19 anos de experiência em serviços financeiros, consultoria de gestão, seguros e verticais do setor de software. Atua no momento como diretor, chefe de estratégia de segurança empresarial, membro da equipe de estratégia global da Netskope, concentrado na transformação digital e nos impactos nos programas e estratégias de segurança cibernética.

Stay informed!

Subscribe for the latest from the Netskope Blog