Netskope named a Leader in the 2022 Gartner® Magic Quadrant™ for Security Service Edge. Get the Report.

  • Plataforma

    Visibilidade incomparável e proteção de dados e contra ameaças em tempo real na maior nuvem privada de segurança do mundo.

  • Produtos

    Os produtos Netskope são construídos na Netskope Security Cloud.

A Netskope oferece uma pilha de segurança na nuvem moderna, com capacidade unificada para proteção de dados e ameaças, além de acesso privado seguro.

Explore a nossa plataforma

Netskope é nomeada Líder no Relatório do Quadrante Mágico™ do Gartner de 2022 para SSE

Obtenha o Relatório

Mude para serviços de segurança na nuvem líderes de mercado com latência mínima e alta confiabilidade.

Saiba mais

Previna ameaças que muitas vezes contornam outras soluções de segurança usando uma estrutura SSE de passagem única.

Saiba mais

Soluções de zero trust para a implementação de SSE e SASE

Saiba mais

A Netskope permite uma jornada segura, inteligente e rápida para a adoção de serviços em nuvem, aplicações e infraestrutura de nuvem pública.

Saiba mais
  • Customer Success

    Proteja a sua jornada de transformação digital e aproveite ao máximo as suas aplicações na nuvem, na web e privadas.

  • Atendimento ao cliente

    Suporte proativo e o compromisso em otimizar seu ambiente da Netskope e acelerar seu sucesso.

Confie na Netskope para ajudar você a enfrentar ameaças emergentes, novos riscos, mudanças tecnológicas, mudanças organizacionais e de rede, e novos requisitos regulatórios.

Saiba mais

Contamos com engenheiros qualificados no mundo todo, com experiências variadas em segurança na nuvem, redes, virtualização, entrega de conteúdo e desenvolvimento de software, prontos para prestar assistência técnica oportuna e de alta qualidade.

Saiba mais
  • Recursos

    Saiba mais sobre como a Netskope pode ajudá-lo a proteger sua jornada para a nuvem.

  • Blog

    Saiba como a Netskope viabiliza a segurança e a transformação de redes através do security service edge (SSE).

  • Eventos e workshops

    Esteja atualizado sobre as últimas tendências de segurança e conecte-se com seus pares.

  • Security Defined

    Tudo o que você precisa saber em nossa enciclopédia de segurança cibernética.

Podcast Security Visionaries

Episódio bônus: a importância do Security Service Edge (SSE)

Reproduzir o podcast

Leia as últimas novidades sobre como a Netskope pode viabilizar a jornada Zero Trust e SASE por meio dos recursos do security service edge (SSE).

Leia o Blog

Participe conosco de um workshop prático e gratuito sobre segurança na nuvem que ensinará como adotar serviços na nuvem com segurança dentro da empresa.

Encontre um workshop

O que é o Security Service Edge?

Explore o lado de segurança de SASE, o futuro da rede e proteção na nuvem.

Saiba mais
  • Empresa

    Ajudamos você a antecipar os desafios da nuvem, dos dados e da segurança da rede.

  • Por que Netskope

    A transformação da nuvem e o trabalho em qualquer lugar mudaram a forma como a segurança precisa funcionar.

  • Liderança

    Nossa equipe de liderança está fortemente comprometida em fazer tudo o que for preciso para tornar nossos clientes bem-sucedidos.

  • Parceiros

    Fazemos parceria com líderes de segurança para ajudá-lo a proteger sua jornada para a nuvem.

A Netskope possibilita o futuro do trabalho.

Saiba mais

A Netskope está redefinindo a nuvem, os dados e a segurança da rede para ajudar as organizações a aplicar os princípios de Zero Trust para proteger os dados.

Saiba mais

Pensadores, construtores, sonhadores, inovadores. Juntos, fornecemos soluções de segurança na nuvem de última geração para ajudar nossos clientes a proteger seus dados e seu pessoal.

Meet our team

A estratégia de comercialização da Netskope, focada em Parcerias, permite que nossos Parceiros maximizem seu crescimento e lucratividade enquanto transformam a segurança corporativa.

Saiba mais
Blog CSO, Data Protection A Practical Guide to Cloud Data Protection (Part 2)
Aug 04 2021

Um guia prático para proteção de dados na nuvem (parte 2)

A seguir, um trecho do white paper recente da Netskope, “Como projetar uma estratégia de proteção de dados em nuvem”, escrito por James Christiansen e David Fairman. Na Parte 1 desta série, cobrimos as duas primeiras etapas relacionadas à descoberta e classificação de dados.

Etapa 3: Conheça o fluxo dos dados pelo ecossistema—seja o ponto de inspeção entre o usuário e os dados.

Os dados são como água—oonde houver passagem eles fluem. Como tal, uma organização precisa de visibilidade e deve ser capaz de inspecionar todos os fluxos de tráfego para identificar o seguinte:

  1. Quais dados estão em movimento, com base na criticidade e sensibilidade (classificação de dados)?
  2. De onde está vindo e para onde está indo? Esses ambientes de origem e destino estão de acordo com o processo de descoberta ou identificamos repositórios de dados desconhecidos que precisam ser investigados? Este último ponto não deve ser esquecido. Os processos de negócios mudarão e, com isso, os fluxos de dados mudarão. É imperativo que uma organização monitore continuamente e tome as medidas adequadas quando novos fluxos forem identificados. Normalmente, essas ações são:
    1. Garantir que a postura ou os controles de segurança da origem ou destino recém-identificado, que pode ser uma nova aplicação SaaS (ou uma instância dessa aplicação SaaS), atenda aos padrões exigidos.
    2. Garantir que a postura ou os controles de segurança de um novo terceirizado (e consequentemente a segurança do seu ambiente), que tenha agora acesso aos dados, atende aos padrões de privacidade.
    3. A confirmação de que esse fluxo de dados é apropriado e não indica um comprometimento ou que identifica um processo de negócios interrompido ou ações do usuário que precisam ser corrigidas.
  3. Podemos determinar qualquer movimento de dados geográficos e/ou jurisdicionais que possam nos introduzir em requisitos de privacidade ou regulamentares?

Ao criar um ponto de inspeção nativo da nuvem entre o usuário e os dados, que possa interpretar a linguagem da nuvem, a organização agora irá criar um recurso de descoberta para identificar todos os dados relacionados à nuvem e pode, então, aproveitar os recursos discutidos na etapa 2 para automatizar e classificar com alta precisão grandes volumes e fazer isso em tempo real quando os dados estão em uso e em movimento. Além disso, uma organização precisa desse mesmo recurso de classificação automatizada para dados em repouso. Dessa forma, há uma abordagem dupla para garantir que todos os dados sejam descobertos e classificados de maneira automatizada e, naturalmente, que o mecanismo de classificação automatizado seja aplicado de forma consistente em ambos os conjuntos de dados, em repouso e em movimento.

Isso também aprimora a análise e a visualização em tempo real, ambas essenciais para a proteção de dados e que estão rapidamente se tornando um novo instrumento para as equipes de Operações de Segurança. Essas análises não substituem o SIEM, mas ajudam a redefinir o que é necessário para uma análise de segurança, resposta e gerenciamento de risco de terceiros eficaz. Esse recurso se torna um componente fundamental, necessário para garantir que uma organização tenha todas as informações e inteligência em mãos, em tempo real, para permitir que ela entenda o impacto e as dependências dos dados da nuvem, tomando decisões informadas e agindo em tempo hábil.

Etapa 4: Saiba quem tem acesso aos dados - tenha mais visibilidade

Ser o ponto de inspeção entre o usuário e os dados não apenas permite que uma organização entenda de onde os dados estão fluindo, mas também dá visibilidade sobre quais identidades (máquina ou usuário) têm acesso aos dados.

Ser capaz de determinar isso aprimora a capacidade de gerenciamento de identidade e acesso de uma organização. Essas informações podem ser usadas para validar as práticas de IAM existentes, como quaisquer definições de controle de acesso baseado em função, além de identificar anomalias que exigirão investigação e ação potencialmente corretiva. Isso se aplica ao usuário final e ao acesso privilegiado.

Ter essa visibilidade permite que uma organização minimize o acesso a dados e aplicações que, por sua vez, minimiza a exposição e, portanto, o risco imposto. O controle de acesso granular é fundamental para minimizar as oportunidades de ataques.

Etapa 5: Saiba se os dados estão bem protegidos—seja o ponto de aplicação da política entre o usuário e os dados

No armazenamento: com relação a dados de cargas de trabalho, é importante que a organização analise e avalie a postura de segurança dos ambientes de nuvem, como AWS, Azure, GCP, para verificar a configuração deles e garantir que os dados não sejam arbitrariamente deixados expostos. A configuração incorreta de ambientes de nuvem é uma das principais causas de violações de dados. O monitoramento de conformidade da configuração de segurança tem sido um recurso comum por muitos anos da infraestrutura on-premises e isso naturalmente precisa se estender aos serviços IaaS e PaaS baseados em nuvem.

Em movimento: com relação aos dados relacionados à nuvem, uma organização precisa estabelecer um recurso que crie um Ponto de Aplicação de Políticas (PEP) entre o usuário e os dados. (Esta é uma extensão lógica para o ponto de inspeção descrito na Etapa 3.)

A organização agora estará equipada com uma série de pontos de dados que lhes permitem tomar decisões baseadas em políticas com contexto, permitindo assim uma abordagem verdadeira, adequada à finalidade e baseada em riscos para a aplicação de controles. Como exemplo (e recomendação), com uma compreensão da criticidade e sensibilidade dos dados (derivados da classificação), uma organização pode priorizar a proteção do nível de classificação mais alto de dados e trabalhar seu caminho até a classificação do segundo nível mais baixo. Observe que o nível mais baixo é normalmente classificado como “Público” e não deve garantir muitas proteções (se houver alguma).

Se você quiser saber mais sobre como projetar uma estratégia de proteção de dados na nuvem, pode ler uma cópia gratuita do white paper aqui!

author image
Sobre o autor
David Fairman é um experiente CSO / CISO, consultor estratégico, investidor e coach. Ele tem vasta experiência no setor de serviços financeiros globais. Em 2015, David foi nomeado um dos 10 principais CISOs a se conhecer e é visto como um líder inovador no setor de segurança cibernética, conforme perfilado pela K-Logix.
David Fairman é um experiente CSO / CISO, consultor estratégico, investidor e coach. Ele tem vasta experiência no setor de serviços financeiros globais. Em 2015, David foi nomeado um dos 10 principais CISOs a se conhecer e é visto como um líder inovador no setor de segurança cibernética, conforme perfilado pela...